quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

{Personagens Originais} Fiore


Mais uma arte da Fiore, onde eu desenhei e as gêmeas @PulimCartoon pintaram 😍


Eu amo tanto essa minha filha 😍💚

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

{Personagens Originais} Fiore Argay


Tenho um grupo de amigos onde surgiu a ideia de criar personagens originais inspirados na história/universo de Boku no Hero Academia.
Foram alguns meses de trabalho, mas agora, com muito orgulho, apresento a vocês Fiore Argay.

{Desenhada por mim e colorida por @PulimCartoon }


Fiore Argay
(Fiore do Latin: Flor; Os Argays tem o poder de emitir vibrações de sucesso e de auto confiança, livrando pensamentos negativos e depressões, sempre tendo uma visão mais clara e otimista das coisas.)

Nome de herói: Salamander.

Aniversário: 28/02 (2002 - 6am)

Idade: 16 anos.

Signo: Peixes.

Altura: 1,64cm.

Peso: 55kg.

Cor dos Olhos: Verde.

Pele: não muito clara.

Cabelo: Verde água

Quirk: Blue Flame.

Limitação do quirk: Quando usa em excesso fica com febre.

Gosta: Tudo que for relacionado a natureza, ler, coisas fofas, animar as pessoas e banhos de cachoeira.

Não Gosta: Pessoas frias, mal humoradas e carne.

Qualidades: Mesmo sendo magra, possui habilidades atléticas, por treinar desde pequena na ilha onde nasceu e cresceu. É muito gentil, carinhosa e animada.

Defeitos: Inocente demais e meio lerda as vezes, um pouco desastrada e tímida.

Medos: Do escuro, de maldade e incêndios.

Curiosidades: Não tinha muito contato com coisas de fora de Argay, então qualquer lugar que não fosse Argay era “o mundo de fora”, não que ela não pudesse sair de Argay ou coisa parecida ela só não tinha muito interesse nisso quando era jovem. Então assim que foi estudar na UA, e falava sobre Argay ou de seus costumes parecia a Stellar (Jovens Titãs) falando sobre Tamaran, as vezes chegava a ser engraçado para as pessoas por parecer que ela estava falando de outro planeta.

Segredo: Tem um crush pelo Sunan, não sabe exatamente por que, mas sempre que está perto dele se sente incrivelmente bem, e tem uma grande admiração pelo seu quirk, já que seu sonho é ser médica e o poder dele seria extremamente útil.

Desejos: O sonho de Fiore é se tornar médica assim como seu pai, para salvar pessoas, mas como a única filha da princesa mais nova de Argay ela irá suceder sua mãe e se tornar a líder do Esquadrão da Paz de Argay.

História:
Fiore nasceu na Ilha de Argay, uma ilha localizada próxima a Irlanda. Em Argay, por ser uma ilha com muita natureza, a maioria das quirks que melhor se adaptaram foram as relacionadas a elementos naturais, ou animais que ali viviam, portanto é muito comum quirks que lembram fadas e metamorfos.
A ilha já foi um completo caos, mas graças ao avó de Fiore, hoje todos os seres vivem em harmonia. Atualmente seu avó é o “Rei” de Argay, seu tio (irmão mais velho de sua mãe) será o próximo rei e sua mãe é líder do Esquadrão da Paz de Argay, responsável por manter a harmonia e proteger a ilha.
O pai de Fiore é um médico, que foi para a Ilha de Argay para estudar, mas a mãe de Fiore não gostava muito dele, já que o quirk dele são chamas, e ela como responsável pela harmonia de Argay desconfiava que ele poderia usar seu poder para causar problemas, mas depois de tanta implicância, os dois começaram um relacionamento e depois do casamento de ambos, ele foi reconhecido como um membro da família Argay.
Fiore sempre foi uma criança muito animada e curiosa, e sempre mostrou interesse no trabalho de seu pai, costumava acompanhá-lo ao consultório que ele possuía e com isso foi aprendendo a cuidar tanto de humanos, como de animais. Assim que aprendeu a ler, leu todos os livros de seu pai relacionados a medicina, e era quem mais ficava feliz sempre que o pai salvava a vida de algum ser.
No sétimo outono de sua vida, Fiore brincava com as folhas secas quando descobriu seu quirk. Quando viu uma chama azul sair de sua mão ela entrou em desespero, e sem querer a chama atingiu as folhas secas, iniciando um grande incêndio na Ilha de Argay. Ela viu o fogo queimar as plantas que tanto amava, viu animais que brincava morrer entre as chamas e pessoas ficarem feridas, o fogo queimava tudo a sua volta, menos ela. Os moradores de Argay tiveram muito trabalho para apagar as chamas, e a única pessoa que conseguiu controlar as chamas foi o pai de Fiore com seu quirk, quando viu a filha em meio as chamas ficou desesperado, mas se acalmou ao ver que ela não possuía nenhuma arranhão. Levou quase um ano até a pequena Fiore desabafar com seus pais e contar que foi ela a causadora do incêndio, e durante todo esse período ela ficou sem usar seu quirk, assim que contou para eles, os dois ficaram orgulhosos de ver que ela contou por conta própria, mesmo que ambos já soubessem do poder da filha, e cuidavam da mesma de longe, depois que ela contou eles começaram a ajudá-la a treinar seu poder.
Por ser muito inteligente e ter um quirk muito parecido, o pai de Fiore passou a estudar o poder da filha para ajudá-la, e aos poucos foi tentando tirar o medo que ela tinha de usar seu quirk. O medo não desapareceu, mas diminuiu consideravelmente.
Aos poucos ela se permitia usar seu poder, mas sempre em uma pequena quantidade para que o incêndio não se repetisse. Nesses pequenos treinos ela descobriu como controlar melhor as chamas, e quando está entediada libera uma pequena quantidade dela, e fica brincando tentando moldá-las em formas de animais.
Para as pessoas com quirk de fada, fazer troca de energia com a natureza é algo tão normal quanto respirar. É uma troca quase que equivalente, a energia das fadas faz as plantas crescerem mais saudáveis e bonitas, e a energia das plantas faz as fadas ficarem saudáveis e dispostas.
Com o novo treinamento, Fiore aprendeu que essa mesma energia pode ser usada para pequenas recuperações físicas, tanto das "fadas" quanto das plantas. Essa energia reduz o cansaço dos detentores da quirk, e é benéfica a plantas. Os habitantes de Argay se acostumaram tanto com essas pequenas trocas de energia, que quando algum deles vai para alguma outra região de menor natureza, a pessoa se sente cansada e indisposta. Quanto mais a pessoa realiza essa troca em Argay, mais ela vai sofrer ao ficar sem essa energia extra.
Porém com o tempo descobriu que se utilizasse em quantidade essa energia, ocasionava a morte da planta, pois em pequena quantidade era benéfico, em grande quantidade iria exaurir a planta da energia dela, e a sua própria não conseguiria substituir isso em 100%.
Essa troca de energia funciona apenas com plantas. Ela também aprendeu a fazer flores florescerem, árvores darem frutos. Uma vez estava faminta, e mal acreditou em seus olhos quando viu um belo e suculento morango nascer bem na sua frente. Quando mais nova, acreditava que era a magia de Argay que a permitia realizar tudo isso, mas hoje ela sabe que é graças a uma quirk muito poderosa passada de geração em geração.
Mesmo com tantos acontecimentos atípicos e responsabilidades precoces, toda sua família fazia de tudo para que a pequena Fiore tivesse uma vida como a das outras crianças de sua idade, ela ia a escola, onde se destacava por ser muito inteligente, mas meio lerda para entender as pessoas. Adorava cozinhar com sua mãe, as duas faziam uma bagunça na cozinha e deixavam tudo para seu pai limpar, também costumava ir nadar nas cachoeiras com sua mãe. Também saia muito para cultivar as flores com seu tio e amava escutar as histórias do seu avô, sem falar que era mais fácil encontrá-la no consultório do seu pai do que em casa, enfim, ela era muito grata por ter suas família consigo sempre que precisou.
Aos 15 anos Fiore já estava ciente do rumo da sua vida, sucederia sua mãe como líder no Esquadrão da Paz de Argay, mas como teria muito tempo até sua mãe se “aposentar”, resolveu seguir o conselho do seu pai e estudar fora de Argay, já que todo conhecimento é bem vindo e assim ela iria adquirir experiências, e conhecer “o mundo de fora”, já que o único contato com coisas de fora de Argay eram turistas que iam até a ilha, mas normalmente ela estava ocupada em seus treinamentos, e com seu pai, que depois de tanto tempo lá até esquecia que era humano.
Depois de muitas pequisas, ela descobriu a UA, escola de heróis e achou que seria o melhor local para ter novas experiências, com isso decidido ela passou a se empenhar ainda mais nos estudos para a prova de admissão na escola.
Quando o dia da prova chegou, seus pais a acompanharam até o Japão para lhe dar apoio. A prova escrita, Fiore sofreu por causa do idioma, o qual não tinha tanto contato e estudara as pressas, mas conseguiu passar, e ainda teve o restante do dia para aproveitar com seus pais um pouco do “mundo de fora”. Fiore tinha os olhos brilhando para tudo de novo que via e o que ela mais gostou no Japão foram as árvores Sakura.
No exame prático ela desviava facilmente dos robôs com seus reflexos rápidos, e conseguia derrubá-los com facilidade usando a Blue Flame, porém quando os robôs explodiam e pegavam fogo ela foi se assustando, pois para todos os lados que olhava via robôs em chamas e isso trouxe seu medo de incêndios de volta, ao entrar em desespero ela se abaixou, ficando de cócoras e começou a chorar, ela esqueceu que estava num campo de batalha, mas inconscientemente a blue flame fez uma barreira de proteção em volta de si e quando algum robô a atacava, a barreira destruía o mesmo, sendo assim, mesmo sem lutar de frente com os robôs acumulou uma grande quantidade de pontos, o suficiente para passar com uma boa colocação, depois que a prova acabou seu pai teve que ir no local da prova acalmá-la e tirá-la de lá. Depois da prova, Fiore estava fraca mentalmente e fisicamente, e assustada.
Enquanto o resultado não saia ela procurava conhecer sua, quem sabe, futura nova cidade. Ela andava encantada pelo trem bala, ficava perdidinha com as luzes, e ela amava cada vez mais tudo aquilo, mesmo sentindo uma saudade enorme de sua terra natal.
Seu pai continuou no Japão com ela, uma vez que sua mãe não podia se ausentar muito de Argay, e ele foi ajudando ela cada vez mais a controlar suas chamas. Treinaram bastante, e Fiore não poderia estar mais feliz.



{Adaptações/Edições por @PulimCartoon}

Tem muita coisa para evoluir nesse minha filha linda, que talvez, futuramente, eu mostre aqui, e também tem novas artes a caminho.
Sim, ela parece a Haneul :v 

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Kimbap


O 1° Anipop foi um picnic, e eu queria levar algo diferente, por isso optei por levar Kimbap, o "sushi coreano". Eu tentei seguir essa receita porém como fiz na noitr anterior e na minha cidade é muito difícil encontrar produtos orientais, eu tive que improvisar com o recheio.


Eu usei ovos mexidos, cenoura, presunto e salsicha para o recheio.


Depois de tudo pronto, como na receita que eu segui, hora de montar.


Espalhei o arroz na nori, coloquei os recheios e enrolei com a ajuda da esteira.


Depois com uma faca bem afiada cortei em rodelinhas, e achei a coisa mais linda 😍


Com o kimbap pronto, organizei tudo no meu obento e tãdã, estava pronto pars levar para o picnic ♡
O bom do kimbap é que você pode rechear com o que quiser e não tem nada cru (sim, eu não gosto de sushi :v) ♡